Publicado em 17 de junho de 2013 às 12:21

Segurança está preparada para manifestações durante os jogos

Os 74 mil homens envolvidos na segurança da Copa das Confederações estão preparados para agir nos casos de manifestações nas áreas próximas aos locais dos jogos. De acordo com o diretor de operações da Secretaria Extraordinária para Segurança de Grandes Eventos do Ministério da Justiça, José Monteiro, ações desse tipo foram previstas no planejamento para a segurança da competição.

“As manifestações são um componente contemplado em nosso planejamento. Elas são normais e correntes em eventos dessa visibilidade. Estamos preparados para isso, temos efetivos que serão aplicados, caso seja necessário. Mas sempre com o primeiro objetivo de garantir o direito daqueles manifestantes, da possibilidade deles se deslocarem. O direito de se manifestar em área pública é consagrado na Constituição”, disse Monteiro.

A única ressalva, segundo ele, será nas proximidades dos estádios. “No entorno da arena, temos um cercamento, onde se inicia a área de segurança. Ali circulam as pessoas que já compraram os ingressos e as delegações dos times. Para ingressar, só o portador de ingresso, de convite ou de credencial. Quem não detém, não tem ingresso autorizado”, explicou o representante do Ministério da Justiça.

O chefe do setor de Planejamento Operacional da Polícia Militar do Rio, tenente-coronel Marcelo Rocha, também considerou como normal a possibilidade de ocorrer manifestações, pois é uma garantia constitucional. “A manifestação, desde que legítima e legal, não vai ser coibida. Em eventos como este, em outros países, acontecem manifestações desta natureza. A Polícia Militar, sempre que tiver de atuar, será dentro da legalidade, de forma legítima, para garantir os direitos individuais e, principalmente, os direitos coletivos”, disse Rocha.

A utilização de veículos aéreos não tripulados (Vants), para ajudar no patrulhamento aéreo foi confirmada pelo assessor especial do Ministério da Defesa para a Segurança de Grandes Eventos, general Jamil Megid Júnior. Ele disse que serão usadas uma aeronave da Aeronáutica e outra da Polícia Federal, mas não quis detalhar onde ou quando serão colocadas em operação.

“Os Vants entram para monitorar uma área, para fazer um reconhecimento, uma vigilância em determinado ponto que a gente necessite. Terá um plano de voo pré-determinado, sem interferir na aviação em geral, e vai coletar esses pontos conforme o estudo de situação.”

Sobre as possíveis manifestações durante os jogos, Megid disse que haverá ajustes na área de segurança pública, mas esclareceu que as Forças Armadas participam da área de inteligência e do monitoramento, integrando as informações com os órgãos de segurança pública, não atuando diretamente nesse tipo de situação.

O total do efetivo recrutado com a missão específica de garantir a segurança durante os jogos será formado por 20 mil homens das Forças Armadas e 54 mil das demais forças de segurança, incluindo as polícias Federal, Rodoviária Federal, Militar e Civil, a Força Nacional e homens do Corpo de Bombeiros.

Agência Brasil